A presidenta Dilma Rousseff sancionou mudança na Lei de Execução Penal que institui os estudos do ensino médio nos presídios brasileiros

cadeiaA presidenta Dilma Rousseff sancionou, na última semana, uma mudança na Lei de Execução Penal que institui os estudos do ensino médio nos presídios brasileiros. A Lei 13.163 tem origem na Câmara dos Deputados, em 2002, com o Projeto de Lei autoria do então deputado e atual senador Paulo Rocha (PT). O senador explicou à Rádio EBC que atualmente a juventude é uma presa fácil do esquema de drogas no país. Consequentemente, a quantidade de jovens presos chama a atenção, já que mais de 50% da população carcerária do Brasil é formada por jovens infratores. Para ele, a juventude brasileira é de responsabilidade da própria família e, também, do Estado. “Primeiro, a responsabilidade da nossa juventude ou é da família ou do Estado, que não tem competência para criar condições no período da juventude, que são estudo, educação, etc”.   Paulo Rocha citou como exemplo um rapaz que é preso com 18 anos e cumpre pena de 10 anos. Segundo ele, o rapaz sai com 28 anos, muito mais perigoso ou mais revoltado com a sociedade, e não reeducado. Por isso, a ideia é da nova lei é que o preso volte para a sociedade mais preparado e educado para enfrentar a vida fora da cadeia.   “A minha ideia é que dentro do presídio ele tenha oportunidade de se preparar no outro patamar de educação que o mundo não lhe deu”, ressaltou.

fonte:bahianoticias.com.br

Papa: “Seguir Jesus implica rejeitar mentalidade mundana”

1214No Angelus, o Papa Francisco afirmou que seguir Jesus implica rejeita mentalidade mundana

Da redação, com Rádio Vaticano

No encontro com os fiéis para a oração do Angelus deste domingo, 13, o Papa refletiu sobre a passagem do Evangelho de Marcos em que Jesus anuncia que deverá sofrer, morrer e ressuscitar.

“Jesus explica aos discípulos que Ele é um Messias humilde e servidor. É o Servo obediente à vontade do Pai até o sacrifício completo da própria vida. Dirige-se à multidão e alerta: ‘Se alguém me quer seguir, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me’”.

O Pontífice disse aos fiéis que “seguir Jesus significa assumir a própria cruz e acompanhá-Lo em seu caminho, um caminho incômodo, que não é o do sucesso ou o da glória passageira, mas o que conduz à verdadeira liberdade, que liberta do egoísmo e do pecado”.

“Implica rejeitar firmemente a mentalidade mundana que coloca o próprio ‘eu’ e seus interesses no centro da existência e perder a própria vida por Cristo e o Evangelho, recebendo-a realizada, renovada e autêntica”, disse Francisco.

“Este é o caminho que conduz à ressurreição. Decidir segui-Lo, o nosso Mestre e Senhor que se fez Servo de todos, exige uma união forte com Ele, a escuta atenta e assídua de sua Palavra (ler uma passagem do Evangelho todos os dias) e a graça dos Sacramentos”, acrescentou.

Depois o Papa Francisco dirigiu-se espontaneamente as fiéis dizendo: “A Praça está cheia de jovens moças e rapazes. Eu lhes pergunto apenas: Vocês já sentiram vontade de ouvir Jesus mais de perto? Pensem, rezem e deixem que o Senhor lhes fale”.

Após os longos aplausos dos fiéis, o Papa concedeu a todos a sua bênção apostólica, fazendo seus votos de bom almoço.

Fonte: Site da Canção Nova